quarta-feira, 8 de março de 2017

ILY...




8 Meses… 64 Semanas… 255 Dias… 6120 Horas… De descobertas, aprendizagem, sorrisos, desejo, imensas surpresas, partilha e dádivas. 
Poderia debitar aqui um milhão de palavras para descrever o que vivo e sinto, mas a verdade é que muitas vezes as palavras não descrevem com exatidão o queremos dizer… então limito-me dizer que estou grata, por Sentir e Viver os meus sonhos de menina/ mulher.
Agradecida a Ti por me receberes na tua vida, dizer-te que quando abres os braços para me abraçar, me fazes sentir segura, protegida, querida… por me aceitares tal como sou, sem filtros ou demandas quiméricas, por aturares as loucuras, os meus apegos e medos, gosto de ti assim… real, simples com tudo o que comportas, com o que desejas e és, no Teu tempo e espaço.
Não… Não estou a dizer que és perfeito, nós não somos perfeitos e eu, certamente estou longe de o ser.
Pelo caminho aprendi que podemos e devemos crescer com a diferênça, com o "novo", que a adversidade é uma oportunidade de crescer, aprender, de superar limites, de olhar a Vida de outras perspetivas e aos poucos, no Meu tempo estou mais recetiva a dar e a receber.


O meu maior desejo?!!... Ser ainda mais Feliz!!! 

segunda-feira, 18 de julho de 2016

... Feelings!!!



… As reticências marcam uma continuação,… de uma narrativa, uma história, ou simplesmente de uma vontade, um sonho… uma promessa velada que deixamos a pairar de um amanhã!!!

Quando escrevemos sobre o que sentimos, sobre as nossas aspirações, o que isso diz de nós?! Que somos sonhadores, somos lutadores, ou somos loucos crédulos que teimamos em desafiar o destino?!

Talvez um pouco de todas… Mas onde fica a “Serendipidade”, o “Destino”, o “Livre Arbítrio”… Como sabemos que fomos tocados?!!... o que fazer com a adrenalina, a ansiedade de dar e receber, de ouvir, de sentir mais e mais… A vontade de pegar no carro e percorrer a estrada que me levará ao teu abraço, aos teus olhos que anseio mais e mais a cada minuto que passa.

Respira… aceita, abraça e simplesmente sente!!!

Sem dúvida que os entendidos nas questões, a respeito dos enamorados da vida, têm razão quando dizem que o cérebro abranda e o coração acelera… E esses momentos são únicos e viciantes, tudo culpa das endorfinas, eu sou adicta de todas essas… tendo um carinho especial pela serotonina e a dopamina.

Por isso gosto das reticências… essas que me dizem que amanhã vou ouvir a tua voz, vou descobrir que gostas de viajar, que ouves Robbie Williams e agora Jill… que partilhas comigo um desejo infinito de descobertas a dois… e que não tens medo de saltos tandem na vida. 


Sê bem vindo ao meu mundo… e aperta o cinto, pois estamos prestes a descolar!!!

quarta-feira, 2 de março de 2016

... do Ontem!!!



Fanatismo
"Minh’alma, de sonhar-te, anda perdida.
Meus olhos andam cegos de te ver.
Não és sequer razão do meu viver
Pois que tu és já toda a minha vida!
Não vejo nada assim enlouquecida…
Passo no mundo, meu Amor, a ler
No misterioso livro do teu ser
A mesma história tantas vezes lida!…
“Tudo no mundo é frágil, tudo passa…
Quando me dizem isto, toda a graça
Duma boca divina fala em mim!
E, olhos postos em ti, digo de rastros:
“Ah! podem voar mundos, morrer astros,
Que tu és como Deus: princípio e fim!…”

De Florbela Espanca

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

... iIlusion!



Ilusão é a troca da aparência real por uma ideia falsa. É também um devaneio, um sonho, um produto da imaginação.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Live Lopping...




My own Lopping… Amo esta dança da Vida, da qual nada se sabe, onde nada (a bem da verdade) se controla ou se domina.
Sonhamos, aspiramos… e (des)esperamos!!!
Arrogantes que acreditam dominar, deter a verdade sobre tudo e todos, quando na maior parte do tempo não temos coragem de parar e refletir sobre nós mesmos, “quem somos”… “o que sentimos”… o que na verdade nos move”…!!!
O que aconteceria ao meu mundo (im)perfeito, se de um momento para outro descobrisse que ainda não me conheço, que nada sei sobre o que realmente quero ou sequer para onde vou?!!
O “ruído” do quotidiano cega, emudece a voz interior, uma luz que pode enfraquecer a cada passo que me afasto da verdade em mim.
Para… Ouve… e simplesmente Sente! Dizê-lo assim até parece simples, mas nada é mais desafiante e arrebatador.

… um processo longo, constante e com mil variáveis, enfim… um verdadeiro Lopping!

quinta-feira, 28 de maio de 2015

Amor com Verdade!!!



... Das palavras que podiam ser as nossas!!!


Ninguém é de Ninguém!!!

"Ouve-se com frequência a expressão: “perdi uma relação”, “perdi o meu casamento”, “perdi a pessoa que amo”… mas no fundo, não perdemos nada, porque as pessoas não se adquirem, nem são propriedade de ninguém, e assim sendo, não se perde ninguém porque não se é de ninguém. 
Aqueles que se vão cruzando nas nossas vidas, não precisam de ser possuídos por nós, nem de ser tidos como nossos, para os amarmos sem limites, e com toda a nossa vida e afeto. 
Podemos ter carros, casas, cursos, bens materiais incalculáveis, e até mesmo com estes podemos questionar o que temos de facto. 
Já com as pessoas, será impossível porque nosso, só o momento presente, nada mais. Quando vivemos no paradigma que os outros são nossos e nos pertencem, há espaço para o ciúme, para o controle, para a manipulação e para o desespero, porque partimos do principio que temos o direito de controlar o que é nosso, de ter medo de perder o que é nosso, e a intenção de manusear os outros pela manipulação como se fossem bonecos também nossos.
E quando assim é, não estaremos com certeza a falar de amor, mas de uma forma egóica de viver uma relação baseada na posse, no controle, e não no amor. 
Os outros passam nas nossas vidas com uma intenção ou com um propósito, acredito eu, e assim sendo, se por algum motivo alguém deixa de estar na nossa vida e parte dela, é porque já não tem o seu espaço no presente e a seu propósito para permanecer perto de nós. 
E aí, só podemos respeitar, e deixar ir quem connosco não quer ficar, não porque não tenhamos valor, mas porque a relação que termina, não faz sentido continuar. E quando assim encaramos as relações, sem posse e baseadas no momento presente de partilha e amor, sem a preocupação de se vai ser para sempre ou se nunca nos vamos cruzar com a pessoa que partiu, o amor é vivido com liberdade e não com correntes, porque se sabe que ninguém é de ninguém, e que não se precisa de possuir alguém para a amar com entrega e paixão… e quanto ao amor, nunca parte, vive sempre dentro de nós."

By Diaga gaspar Duarte